Informações

Taxa de câmbio para gastos com cartão de crédito no exterior será a do dia da compra

Cotações e Índices

Moedas - 13/12/2018 16:08:28
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,883
  • 3,884
  • Paralelo
  • 3,870
  • 4,070
  • Turismo
  • 3,730
  • 4,040
  • Euro
  • 4,409
  • 4,412
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,907
  • 3,907
  • Libra
  • 4,903
  • 4,906
  • Ouro
  • 153,830
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 13/Dezembro/2018
  • IOF | Imposto sobre Operações Financeiras.
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

O Banco Central anunciou, nesta quarta-feira (28), que a taxa de câmbio dos gastos com cartão de crédito no exterior será fixada pelo dia da compra.

Isso significa que a taxa de um produto ou serviço custará no cartão de crédito o correspondente ao valor da taxa de câmbio do dia da compra. Uma outra operação, feita no dia seguinte, por exemplo, pode não seguir a mesma taxa de câmbio.

As operações ficarão disponíveis na fatura em reais no dia seguinte à transação financeira.

A medida vale a partir de março de 2020.

De acordo com a circular do Banco Central, o cliente já poderá saber quanto vai pagar em reais antes, de acordo com o câmbio do dia, dispensando o eventual ajuste na fatura que poderia vir mais tarde.

O BC acredita que a medida aumenta a transparência e a previsibilidade do serviços, já que não fica refém da variação da taxa da moeda estrangeira entre o dia do gasto e o dia de pagamento da fatura.

Leia mais:
Do Rio para Londres: aéreas 'low cost' aumentam oferta de voos para o exterior
Senado avança em proposta que libera uso medicinal da maconha

A iniciativa visa ainda padronizar as informações sobre o histórico das taxas de conversão nas faturas – que terão que ser divulgadas em formato de dados abertos, de forma que os rankings de taxas possam ser estruturados e divulgados.

Para a sistemática de fixação do valor em reais na data do gasto, a fatura terá que apresentar, além da identificação da moeda, a discriminação de cada gasto na moeda em que foi realizado e o seu valor equivalente em reais e as seguintes informações adicionais: data, valor equivalente em dólares (quando a moeda usada na compra for diferente de dólar) e a taxa de conversão do dólar para o real.

As instituições poderão ofertar ao cliente sistemática alternativa de pagamento da fatura pelo valor equivalente em reais no dia de seu pagamento. Nesse caso, diz a circular, o cliente terá que aceitar “expressamente” essa opção.

Fonte: metrojornal | 29/11/2018

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Copan ABC Contabilidade  |  Av. João Ramalho, 545 - Santo André SP - CEP 09030.320  |  Fone 11 4994.3111